7 vantagens de utilizar ferramentas de análise de preço

7 vantagens de utilizar ferramentas de análise de preço

À medida que cresce o nível de concorrência no e-commerce português, a utilização de ferramentas de análise de preço tornou-se indispensável para retalhistas e marcas.

  • Para se manterem competitivas, as empresas precisam de acompanhar os preços praticados pelos seus concorrentes diretos
  • O Pricebench é a ferramenta de análise de preço que recolhe e trata automaticamente os PVP do e-commerce português
  • Existem 7 vantagens principais em recorrer a uma ferramenta de análise de preço

As plataformas de comparação de preços online estão hoje mais disseminadas do que nunca. Com apenas alguns cliques, os consumidores podem comparar preços e outras informações rapidamente e escolher a opção mais barata.

E se esta mesma informação estivesse disponível para retalhistas e marcas online?

O que é uma ferramenta de análise de preço?

Uma ferramenta de análise de preço, como o Pricebench, compara os preços dos produtos numa loja online contra os valores práticos pelos concorrentes diretos.

Como resultado, apresenta de uma forma simples e visual os produtos com preços mais desfasados da concorrência, para que o gestor de e-commerce possa tomar decisões e apresentar um PVP competitivo.

Com o Pricebench também é possível detetar produtos da concorrência em promoção e identificar os artigos que são vendidos por outras empresas e que não estão disponíveis na sua loja online.

Tudo isto sem necessidade de formação estatística, facilmente compreensível por todos.

Vantagens de utilizar ferramentas de análise de preço

Num mercado competitivo, recorrer a uma ferramenta de análise de preço confere ao gestor de e-commerce 7 vantagens essenciais.

1. Acompanhe os preços praticados pelos concorrentes e pelos revendedores

A principal razão para usar uma ferramenta de acompanhamento de preço é que permite definir preços competitivos e não perder oportunidades comerciais.

Para gerir preço é necessário primeiro ter informação atualizada dos valores praticados pelo mercado. Num contexto de cada vez maior competitividade, com o número de players a aumentar, a variedade de gama a crescer e várias alterações de preço por dia no mesmo artigo, esta é uma tarefa a automatizar para libertar esforço da equipa comercial.

Por outro lado, para as marcas é fundamental acompanhar os preços praticados pelos revendedores, para garantir que os PVP praticados estão em linha com as políticas estabelecidas.

É aqui que entra o Pricebench, que trata da recolha e análise dos preços da concorrência de forma automática.

2. Analise a posição dos seus produtos face às outras lojas

Tanto em lojas físicas como em e-commerce, a decisão de compra da maioria dos clientes depende do preço. Hoje, 20% dos consumidores iniciam as pesquisas em sites de comparação de preços e identificam o que tem uma oferta mais competitiva, selecionada em 90% dos casos. [1]

Dada a enorme importância do fator preço, é fundamental acompanhar os valores praticados pela concorrência. Um e-seller com uma gama abrangente ou que atue em mercados altamente competitivos em que os PVP estão em constante mudança, necessita de uma ferramenta de análise de preços como o Pricebench.

Para que uma loja online se consiga manter competitiva, é necessário responder a questões como:

  • Com que concorrentes devo comparar preços?
  • Os meus produtos são comparáveis com os dos meus concorrentes?
  • Que produtos comparáveis são mais caros ou mais baratos do que os dos meus concorrentes diretos?
  • Que produtos vendem os meus concorrentes que não estão disponíveis na minha loja online?

Para manter um preço competitivo é necessário que responder a estas questões seja um processo contínuo, baseado em informação precisa.

O Pricebench analisa a posição dos seus produtos face às outras lojas e apresenta os dados de forma a que seja possível tomar decisões de preço como: decidir novos PVP, colocar artigos em promoção ou acrescentar SKU à gama.

3. Conheça a competitividade no sector

A competitividade de um dado setor ou categoria de produtos depende da elasticidade da procura – o impacto que a variação de preço tem na quantidade vendida.

Se uma redução de preço levar a um aumento de consumo considera-se que o mercado é elástico e por isso competitivo. Se a quantidade vendida se mantiver estável à medida que o preço baixa (ou sobe) estamos perante uma situação de reduzida elasticidade (um mercado pouco competitivo), o que se verifica por exemplo em situações de monopólio.

Para tomar decisões de preço, é essencial definir o grau de competitividade de cada setor em que atua, o que pode fazer testando alterações de preço. Analisar o resultado desses testes de forma fiável exige a ferramenta de análise certa.

O Pricebench veio simplificar a análise e recolha de preços de mercado, resumindo o posicionamento da marca de forma muito visual para facilitar a tomada de decisões. Para simplificar a análise, a análise é feita apenas em produtos comparáveis (com as mesmas especificações) e contra um conjunto limitado e parametrizável de concorrentes chave.

4. Identifique oportunidades de aumento de margem

O preço é a variável com maior impacto no resultado obtido por um retalhista. Segundo um estudo da consultora Mckinsey, uma alteração de preço de 1% tem um impacto de 6% em margem, o que faz do preço uma ‘alavanca’ de margem superior a qualquer redução de custos fixos ou variáveis [2].

Com uma ferramenta de análise de preços, passa a ser possível identificar em tempo real oportunidades para aumentar ou reduzir preços, por forma a obter um PVO competitivo e que proteja as margens de lucro de cada produto.

Conhecer o valor praticado pela concorrência em cada momento, e ajustar o preço para se manter sempre competitivo, é o primeiro passo para aumentar margens de lucro sem ter de cortar custos.

5. Tome decisões de preço mais informadas

É impossível rastrear manualmente os preços definidos por cada concorrente em todos os produtos, a todos os momentos.

O ambiente digital favorece a proliferação de novos concorrentes – acompanhá-los a todos sem recurso a uma ferramenta de análise automática é um processo propício a erros e que desperdiça o capital humano de uma organização.

Com o Pricebench, é possível acompanhar com precisão não só os preços, mas também os produtos em promoção e os artigos disponíveis noutras lojas online que atualmente não estão presentes na sua.

Esta capacidade analítica estende-se não apenas a um, mas vários concorrentes chave, que pode parametrizar com um clique.

A partir desse momento, passa a ter informação simples, visual e acionável com a qual pode tomar decisões informadas.

6. Crie uma base de crescimento

Para crescer são necessárias ferramentas que simplifiquem tarefas manuais e automatizem processos.

Ao automatizar o acompanhamento da concorrência, liberta tempo dos recursos humanos para tarefas de valor acrescentado – como decidir sobre os preços, em vez de os recolher.

O Pricebench acompanha preços e promoções em tempo real de concorrentes selecionados em 14 categorias, de informática a vinhos. Ao fornecer informação atualizada sobre o preço da concorrência, suporta com dados a estratégia de crescimento do e-commerce – seja de conquista de quota de mercado, de seguimento de um concorrente ou de lançamento de novos produtos.

7. Melhore a perceção que o consumidor tem da marca

Para muitos clientes, o preço determina a primeira impressão do produto e da marca. Para a generalidade dos consumidores, preço é sinónimo de valor [3].

Muitas vezes, preços mais elevados criam a perceção de exclusividade (como no caso da Apple). Por outro lado, nem sempre praticar preços mais baixos se traduz num sentimento de baixa qualidade. Pelo contrário, perante o que consideram um “achado”, a perceção de valor obtido pelos consumidores aumenta.

Como definir então o PVP certo para cada marca e produto? Os consumidores criam preços de referência com o tempo, à medida que são expostos aos valores praticados pela concorrência [4].

Quando vemos um novo preço, comparamos com o preço de referência que temos de experiências passadas. São os preços praticados pela concorrência que determinam a forma como percecionamos o preço que temos à nossa frente.

Sempre atualizado com os últimos preços e promoções da concorrência, o Pricebench reduz o desalinhamento entre os seus preços e os da concorrência – e que pode prejudicar a perceção que os consumidores têm da marca.

Gerir uma loja online em Portugal é hoje mais complexo do que nunca. Os consumidores estão mais exigentes e menos fidelizados, mais disponíveis a trocar de fornecedor por uma oferta melhor. Para reagir, os e-sellers precisam de acompanhar os preços de mercado, algo que só é possível com recurso a uma ferramenta de análise de preço. O Pricebench é a referência no e-commerce português, a recolher e analisar preços desde 2014.

Fontes:

  1. https://cedcommerce.com/blog/product-pricing-strategies-e-commerce/
  2. https://www.mckinsey.com/business-functions/marketing-and-sales/our-insights/pricing-the-next-frontier-of-value-creation-in-private-equity
  3. https://www.bain.com/insights/elements-of-value-interactive
  4. https://prisync.com/blog/price-perception/
7 ferramentas indispensáveis para aumentar a sua taxa de conversão online

7 ferramentas indispensáveis para aumentar a sua taxa de conversão online

Nem só de grandes produtos se faz uma grande loja online. Estas são as 5 ferramentas indispensáveis para crescer de forma sustentada e aumentar a taxa de conversão.

  • Para crescer, as lojas online precisam de processos e ferramentas que simplifiquem a gestão do negócio e que automatizem muitos dos processos manuais;
  • Com tanta oferta no mercado é necessário escolher as ferramentas adequadas a cada fase de desenvolvimento;
  • Para além do Pricebench, que permite comparar preços com outras lojas online, reunimos outras 6 ferramentas essenciais para aumentar a taxa de conversão.

Do design à gestão de stocks, do marketing à análise da concorrência – a diversidade de ferramentas para otimização de e-commerce tem vindo a aumentar.

Muitas destas ferramentas podem ajudar a automatizar e simplificar tarefas, a reduzir o erro humano e extrair conclusões que antes eram difíceis de detetar. No entanto, para evitar perder o foco, é necessário filtrar as mais importantes para cada fase de desenvolvimento da loja online.

Para isso, reunimos uma lista de ferramentas essenciais para gestores de e-commerce que procuram soluções para escalar a sua loja online, mecanizar processos, otimizar para o crescimento, aumentar a taxa de conversão e ganhar tempo.

1. Email marketing: Mailchimp

  • Facilidade de utilização: Muito fácil
  • Facilidade de atuação com base nos inputs da ferramenta: Muito fácil
  • Impacto na taxa de conversão: Elevado

Segundo estudos recentes, cada euro investido em email marketing tem um retorno estimado de 38 € – o dobro de outros canais digitais [2]. O email marketing é uma forma rentável de interagir com os clientes e gerar vendas com custo de aquisição relativamente baixo.

Existem no mercado várias soluções pensadas para quem não tem conhecimento técnico (ou tempo para investir) em design ou programação. Entre a oferta disponível, o Mailchimp destaca-se como uma das opções mais versáteis – é possível desenhar, executar, analisar e medir facilmente campanhas de email marketing.

É possível utilizar o Mailchimp para:

  • Criar newsletters a partir de templates pré-definidos, acelerar o processo de desenho e eliminar a necessidade de programar
  • Acompanhar os contactos e leads automaticamente
  • Criar campanhas integradas com social media
  • Medir os resultados dos envios e receber sugestões sobre como melhorar o desempenho das campanhas seguintes

2. Publicidade online: Google Ads

  • Facilidade de utilização: Média
  • Facilidade de atuação com base nos inputs da ferramenta: Média
  • Impacto na taxa de conversão: Elevado

O Google Ads é a ferramenta de criação de anúncios da Google que o coloca no topo da lista de resultados deste motor de busca. Funciona com publicidade paga-por-clique (PPC), o que significa que só paga pelos clicks obtidos, até um valor limite previamente estabelecido.

O que torna o Google Ads diferenciador face à publicidade tradicional, é que é uma ferramenta para chegar a pessoas que estão ativamente à procura de uma solução para um problema específico.

Como os anúncios são apresentados em função do que cada pessoa pesquisa no Google, quando o anúncio é exibido há uma maior probabilidade de ajudar as pessoas o que procuram.

Com o Google Ads é possível:

  • Criar campanhas direcionadas a um público-alvo específico (segmentado por região geográfica ou idade, por exemplo)
  • Acompanhar e gerir o orçamento da campanha ao longo do tempo
  • Identificar os anúncios com melhores resultados e que geraram mais vendas

3. Análise de tráfego: Google Analytics

  • Facilidade de utilização: Muito fácil
  • Facilidade de atuação com base nos inputs da ferramenta: Média
  • Impacto na taxa de conversão: Elevado

Não se pode gerir o que não se mede. E em e-commerce, não se pode medir sem Google Analytics.

Para crescer, é preciso saber o que funciona. O Google Analytics pode ajudar a otimizar uma loja online ao responder a perguntas como: em que páginas é que os utilizadores passam mais tempo? Em que links clicam?

Agregando todos estes dados é possível extrair métricas fundamentais para uma estratégia de marketing digital como o nº de visitantes, nº de visualizações, taxa de conversão, tempo médio de sessão e percentagem de abandono – e acompanhar a evolução de cada indicador ao longo do tempo.

A análise destes KPI permite identificar problemas e reagir para potenciar aquilo que os utilizadores mais valorizam, com base em estatísticas de utilização real.

Adicionalmente, também é possível saber em que anúncios as pessoas clicam, de onde está a vir o tráfego para a loja (das redes sociais, dos anúncios em Google Ads  ou de sites parceiros, por exemplo), que páginas estão a gerar mais interação e para onde vão as pessoas depois de visitarem o seu site.

O Google Analytics é fácil de configurar, oferece uma versão gratuita e permite:

  • Extrair as métricas de utilização mais importantes sobre a sua loja online e acompanhar a evolução de cada indicador ao longo do tempo
  • Extrair conclusões com base em dados para otimizar os conteúdos disponíveis no site, os anúncios apresentados e a presença nas redes sociais e em sites parceiros.

4. Velocidade: Pingdom

  • Facilidade de utilização: Muito fácil
  • Facilidade de atuação com base na ferramenta: Média
  • Impacto na taxa de conversão: Médio

A velocidade da página é um fator de classificação do Google há vários anos e a tendência é que a sua importância para o posicionamento no ranking seja cada vez maior [4]

A Google privilegia as páginas que carregam mais depressa por considerar que assim respondem melhor às necessidades dos utilizadores.

Para avaliar (e depois otimizar) este fator, a ferramenta de teste de velocidade Pingdom, fornece várias pistas de como melhorar o tempo de resposta da sua loja online. A partir destas informações, pode tomar a sua loja online mais leve de diferentes formas:

  • Otimizar as imagens para visualização web
  • Reduzir a quantidade de imagens e vídeos por página
  • Diminuir a quantidade de informação a carregar em simultâneo

5. Verificação de links internos: Broken Link Checker

  • Facilidade de utilização: Muito fácil
  • Facilidade de atuação com base na ferramenta: Muito fácil
  • Impacto na taxa de conversão: Médio

Numa loja online, os links podem deixar de funcionar por várias razões: ou porque a equipa de e-commerce fez alterações, ou porque o link a uma página externa deixou de funcionar ou porque simplesmente o URL mudou.

Seja qual for o motivo, os links que não funcionam penalizam a pontuação do Google. [5]. Para evitar que isso aconteça, o Broken Link Checker é uma ferramenta de utilização simples que:

  • Identifica os links inativos – que foram removidos ou que já não funcionam
  • Sugere ações a tomar para corrigir estes erros

6. Integração de Apps: Zapier

  • Facilidade de utilização: Médio
  • Facilidade de atuação com base na ferramenta: Muito fácil
  • Impacto na taxa de conversão: Médio

A Zapier integra milhares de apps para criar fluxos de informação automatizados. É versátil, flexível e fácil de usar, o que a torna a ferramenta ideal para aumentar a eficiência da sua equipa.

Por exemplo, se receber uma nova encomenda no Shopify e quiser adicionar esses dados a uma folha de cálculo com o nome do cliente, e-mail e valor, pode criar essa ligação com alguns cliques.

Só necessita de fazer essa ligação uma vez, a partir daí o programa é executado automaticamente, o que lhe poupa tempo em tarefas administrativas.

A Zappier ganha mais impacto quando ligada a outras ferramentas. Por exemplo, pode ser programada para enviar um email via Mailchimp a quem abandona o carrinho de check-out na sua loja online.

Esta ferramenta permite:

  • Definir uma relação “causa-efeito” entre diferentes ferramentas como: “se receber uma encomenda (Shopify) então enviar um email de confirmação (Maichimp)”
  • Automatizar tarefas administrativas

7. Análise da concorrência: Pricebench

  • Facilidade de utilização: Muito fácil
  • Facilidade de atuação com base na ferramenta: Muito fácil
  • Impacto na taxa de conversão: Elevado

Os consumidores portugueses são hoje mais sensíveis ao preço do que nunca – em média, 97% dos compradores online verifica o preço em várias lojas online antes de comprar [6].

O Pricebench recolhe, processa e analisa os preços da concorrência. Desenvolvido e otimizado desde 2014 a pensar no e-commerce português, o PriceBench permite:

  • Acompanhar preços e promoções em tempo real de concorrentes selecionados em 14 categorias, de informática a vinhos
  • Reduzir o tempo de reação e manter o preço sempre competitivo.
  • Identificar produtos que os concorrentes vendem e não estão presentes na sua loja

As ferramentas digitais são uma parte fundamental do crescimento de qualquer loja online, se forem adequadas à fase que cada organização vive. Podem ajudá-lo a compreender o público alvo e a aumentar a taxa de conversão.

Fontes

  1. https://shanebarker.com/blog/best-email-marketing-tools/
  2. https://www.litmus.com/resources/state-of-email-analytics/
  3. https://www.litmus.com/blog/the-roi-for-email-marketing-the-good-news-and-the-bad-news/
  4. https://developers.google.com/web/updates/2018/07/search-ads-speed
  5. https://blog.hubspot.com/marketing/ecommerce-tools
  6. https://grandeconsumo.com/97-dos-consumidores-portugueses-comparam-precos-antes-de-comprar/
Análise da concorrência: como transformar dados em informação?

Análise da concorrência: como transformar dados em informação?

A análise da concorrência é hoje mais importante do que nunca. Mas como passar dos dados a informação útil e acionável? Um guia prático para rentabilizar o que a concorrência coloca online.

  • A recolha e análise da informação da concorrência pode dar pistas importantes sobre como sobressair num contexto de hipersensibilidade ao preço;
  • No entanto, só 15% dos e-sellers atualiza os preços de forma recorrente – em parte devido à dificuldade em transformar os dados recolhidos em informação acionável;
  • Com o Pricebench, a análise da concorrência é um processo contínuo, assente em 5 etapas essenciais.

O e-commerce português está em mudança rápida: a adoção das novas tecnologias tem vindo a crescer até entre os mais tecno-céticos, a concorrência está cada vez mais intensa, a frequência de introdução de novos produtos no mercado nunca foi tão elevada e os consumidores são cada vez mais exigentes [1].

A análise da concorrência é o primeiro passo para uma estratégia competitiva

Para muitos retalhistas, estes desafios podem ser difíceis de gerir em parte devido à elevada quantidade de dados disponíveis – sobre os hábitos de consumo, a evolução do mercado, as tendências internacionais e a informação disponibilizada pela concorrência.

O e-commerce é uma atividade baseada em dados, que procuram responder a questões como: que artigos promover e com que desconto? A que produtos dar mais destaque? Que referências poderiam vender mais com um preço inferior?

À medida que os dados se tornam mais complexos, cresce a necessidade de recolha e análise dos preços da concorrência de forma simples e acionável – dificuldade que o Pricebench veio resolver.

Na análise da concorrência, o principal desafio não é o acesso aos dados – é a capacidade de os recolher e analisar de forma acionável

Que dados da concorrência são mais importantes? A quantidade de informação disponível nas lojas online, redes sociais, estudos de mercado e focus groups torna o processo de análise de concorrência complexo até para os retalhistas mais experientes.

Um estudo recente mostra que, apesar de 88% dos retalhistas verificar os preços da concorrência regularmente, apenas 48% atua com base nesses dados. No mesmo estudo, 83% dos e-sellers reportam que a análise da concorrência é um processo demasiado moroso e ineficiente e só 15% consegue atualizar os preços de acordo com a frequência que tinha estabelecido [4].

A ANÁLISE DA CONCORRÊNCIA ENTRE E-SELLERS – % DOS COMERCIANTES ANALISADOS

O principal desafio para os retalhistas não é o acesso aos preços da concorrência, mas sim tratar os dados de forma a extrair conclusões fiáveis e que sejam facilmente compreensíveis e acionáveis – por outras palavras, transformar dados em informação. O Pricebench disponibiliza informação visual que posiciona os preços praticados contra os dos concorrentes, artigo a artigo ou de forma consolidada por categoria.

Transformar dados da concorrência em margem

A análise da concorrência exige um investimento de tempo. Para garantir a melhor alocação de recursos, é necessário encontrar um método ágil para transformar os dados do mercado em informação útil e acionável, com impacto nas vendas e margem. Identificamos 5 passos essenciais:

1. Defina com quem vai competir

Para não perder o foco na análise da concorrência e conseguir tirar conclusões, a recolha de dados deve ser orientada a um número limitado de concorrentes mais influentes.

Sem esta definição prévia do Top 3 ou Top 5 de comerciantes, a recolha de dados torna-se demasiado exaustiva e o processo de tomada de decisão alonga-se.

Para definir esses concorrentes principais, opte pelas marcas com uma gama semelhante, uma política de preços equivalente ou direcionadas à mesma tipologia de clientes.

Com o Pricebench pode facilmente definir os concorrentes principais com os quais quer comparar preços, para garantir uma análise focada nessas marcas. É possível alterar esta definição a qualquer momento.

2. Identifique as fontes de informação

Depois de definidas as principais marcas concorrentes, defina as fontes de informação a ter em conta:

  • Se uma das marcas está muito presente nas redes sociais, esta pode ser uma fonte de informação útil.
  • A concorrência recorre a promoções online ou segue uma estratégia dinâmica de preços? Esta é uma área a analisar com o Pricebench, que permite a recolha e análise dos preços da concorrência.
  • Se, por exemplo, um concorrente envia newsletters regulares com novos produtos e preços, subscreva também e passe a incorporar essa informação na análise.

Para além destes fatores, avalie também a descrição e apresentação visual dos produtos, comentários dos clientes online e reclamações em portais públicos, para ter uma imagem completa da perceção do público sobre esse concorrente.

3. Avalie a qualidade dos dados

Antes de atuar sobre os dados recolhidos, confirme que são suficientemente robustos. Especificamente, confirme se os produtos da concorrência são comparáveis com os seus – ou seja, se as características técnicas e outros atributos do produto são equivalentes.

O Pricebench facilita este processo porque faz o match de produtos de forma automática e só analisa preços entre artigos comparáveis.

4. Defina os parâmetros de comparação

Agora que a concorrência já está definida e a qualidade dos dados avaliada, é importante definir qual o termo de comparação a utilizar.

O rácio mais utilizado é o Índice de Preço, que compara o preço praticado com o dos concorrentes. Este índice divide o preço de cada produto, em cada momento, com o que cada concorrente pratica para o mesmo artigo:

  • Um índice de valor 1 indica um preço equilibrado com o do concorrente
  • Acima desse valor significa que está a praticar preços mais elevados do que os do concorrente selecionado
  • Um índice inferior a 1 é sinal de que o preço praticado para aquele produto é competitivo (inferior ao do concorrente analisado)

Este índice é calculado para cada produto de cada concorrente. Para simplificar esta análise, o Pricebench automatiza os cálculos e apresenta os resultados num formato simples e visual:

Para além do Índice de Preço, outro parâmetro de comparação a considerar é o ritmo de promoção – também analisado pelo Pricebench. Atualmente, 1 em cada 3 consumidores procura promoções antes de comprar [5], o que significa que é essencial monitorizar permanentemente os descontos praticados pela concorrência.

Pode também considerar analisar a percentagem de produtos disponíveis no site da concorrência, o ritmo de lançamento de novos produtos e os canais de distribuição utilizados.

5. Formar, capacitar, comunicar

Implementar novos preços é também um desafio de comunicação. Para transformar dados da concorrência em informação é necessário formar a equipa comercial para que possam compreender e abraçar novas abordagens de preço.

É necessário que a política de preços seja clara, e que as regras que justificam as alterações de preço sejam conhecidas.

Uma das vantagens de trabalhar com o PriceBench é que os dados da concorrência são fáceis de compreender por todos.

O PriceBench simplifica a análise da concorrência

O PriceBench recolhe e analisa os preços praticados pelo e-commerce português desde 2014 e permite, por exemplo:

  • Identificar rapidamente os produtos com preço mais desfasado da concorrência (acima ou abaixo da concorrência)
  • Listar produtos que os concorrentes vendem e que não estão presentes na sua loja
  • Acompanhar preços e promoções em tempo real de concorrentes selecionados em 14 categorias, de informática a vinhos.

O e-commerce está mais dinâmico do que nunca. A concorrência é intensa, os consumidores são sensíveis ao preço e têm informação à distância de um clique. Neste contexto, a análise da concorrência deve ser um processo contínuo – o desafio que o PriceBench veio resolver.

Fontes:

[1] https://ecommercenews.pt/wp-content/uploads/2020/03/Ecommerce-Portugal-2019BD.pdf

[2] https://www2.deloitte.com/content/dam/Deloitte/ch/Documents/consumer-business/ch-cb-en-Deloitte-Analytics-in-retail-0514.pdf

[3] https://www.mckinsey.com/business-functions/marketing-and-sales/our-insights/using-big-data-to-make-better-pricing-decisions#

[3] https://www.inc.com/john-boitnott/what-is-the-best-data-to-analyze-for-beating-the-competition.html

[4] https://www.omniaretail.com/hubfs/Content%20Pieces/2018/Reports/OmniaRetail-PriceWars-20181206-FINAL.pdf

[5] https://blog.hubspot.com/sales/competition-based-pricing

Pin It on Pinterest